10 razões para você trabalhar com desenvolvimento de jogos no Brasil


Se você é um apaixonado por jogos eletrônicos, muito provavelmente já se perguntou como seria, se ao invés dos games serem somente a sua paixão, você pudesse um dia trabalhar com jogos, ser um designer de games, e trabalhar com aquilo que mais gosta de fazer nas suas horas vagas. É possível também que tenha pensado que essa ideia não é viável e que só alguns poucos seletos mortais tiveram essa benção de nascer desenvolvendo jogos.

Mas não é bem assim, porque principalmente nos últimos anos, o mercado de jogos no mundo, e também no Brasil, não para de crescer, e existem cada vez mais ofertas de cursos, formações e também empregos nessa área. Se você tem dúvidas se trabalhar com jogos pode ser uma boa ideia, nós vamos te dar 10 razões para você trabalhar com jogos no Brasil.

Trabalhar com o que gosta

É quase certo que, se você está pensando em trabalhar com jogos, você gosta muito de jogar. Embora gostar de jogos não seja a única característica que é levada em consideração na hora de optar por uma profissão nessa área, não tenha dúvida de que ela é fundamental.

Em qualquer área de atuação profissional, a paixão por aquilo que se faz é um diferencial que vai impactar na sua predisposição para estudar, aprender, trabalhar e crescer na profissão, além de ter uma vida profissional mais saudável e mais feliz.

E no caso do desenvolvimento de jogos não é diferente. Imagine poder participar da criação de um game que milhares ou milhões de pessoas vão amar, ou poder levar as suas experiências de jogador para o trabalho, ou ainda criar ou participar de um projeto com as características com as quais você sempre sonhou que um jogo pudesse ter?

Não é pouca coisa não! Trabalhar com desenvolvimento de jogos, para um gamer, é muito provavelmente uma excelente escolha.

Mercado em alta no Brasil

Até agora só falamos sobre características gerais a respeito do desenvolvimento de jogos, mas, e no Brasil, será que é viável ser um designer de games? A resposta é sim! Há muitos anos o mercado de jogos no Brasil é um negócio que movimenta anualmente valores na casa de 1 bilhão de dólares. Nós falamos sobre o crescimento do mercado de games no Brasil aqui no blog.

O Brasil hoje é o 12º mercado mundial de games em volume de vendas, deve ser o primeiro da américa latina este ano, e há apenas alguns anos chegou a ocupar a quarta posição no ranking mundial. Isso significa, para quem quer trabalhar com jogos, que há clientes no Brasil para o seu trabalho.

Os gamers no Brasil possuem poder de compra, e gostam de comprar jogos, então desenvolver jogos já um mercado lucrativo por aqui, principalmente depois que o problema da pirataria no Brasil começou a reduzir.

E se há pessoas comprando, porque deixar esse dinheiro ir somente para fora do país, com nossos consumidores comprando apenas jogos de outros países? É esse tipo de mentalidade que vem fazendo com que essa indústria não pare de crescer em nosso país. Existem cada vez mais empresas relacionadas ao desenvolvimento de jogos no Brasil e a tendência é que esse aumento continue.

Bons salários

Como em toda área de formação, no Brasil ou no mundo, os salários oferecidos aos seus profissionais variam bastante. O salário vai depender de que área do desenvolvimento de jogos você atua, a sua experiência nessa área e seu grau de formação. No Brasil, enquanto um iniciante pode ganhar apenas mil e duzentos Reais, um profissional de peso pode chegar aos 18 mil Reais. E ainda que esses valores não sejam próximos do que se paga em alguns países, pode-se dizer que o desenvolvimento de jogos vale a pena, também financeiramente falando.

Em nosso último artigo no Blog falamos sobre os primeiros passos para quem deseja começar uma carreira e trabalhar com jogos.

Já são mais 300 empresas no ramo

Segundo a Associação Brasileira de Games, a Abragames, no Brasil já existem nada menos do que 300 empresas que atuam no ramo do desenvolvimento de games. E o melhor é que existem sempre vagas disponíveis, pois o que falta ao Brasil nesse mercado é gente capacitada para exercer a profissão, e esse pode ser você.

Veja alguns dos estúdios brasileiros de maior sucesso:

Ofertas de formação

Ainda que o mercado de games no Brasil precise crescer um pouco mais, já existem cursos superiores e técnicos de game design por todo o Brasil, proporcionando uma forma do brasileiro estudar e ingressar nessa profissão sem ter que viajar para estudar no exterior. Você pode inclusive começar com o Curso de Game Design do Universo Profissional.

E ainda que o mercado de games não exija necessariamente uma formação, elas são sempre bem-vindas em qualquer área. Alguns exemplos de formações já disponíveis pelo país são:

  • Curso Superior Tecnológico em Jogos Digitais – Universidade Estácio de Sá
  • Curso Superior em Jogos Digitais – Universidade Veiga de Almeida
  • Tecnólogo em Design de Games – Univeritas
  • Especialização em Jogos e Animação Digital – Unicarioca

E essas são apenas algumas. Pesquise o que tem disponível perto de você. Muitas vezes elas não precisam ser nem mesmo específicas para o mercado de jogos, mas te darão base na área escolhida e um bom curriculum para entrar no mercado.

Múltiplas áreas de atuação

Como dito anteriormente, sobre as ofertas de formação, quem imaginaria que um profissional especializado em redação pode conquistar uma vaga no mercado de jogos? Mas é isso mesmo! Profissionais dessa área são também requisitados. Isso porque no mercado de games, existem múltiplas áreas de atuação, pois dependendo do tamanho e nível do projeto, vai utilizar muito mais do que apenas o design e a programação.

Algumas das posições de trabalho requisitadas no mercado de games são:

  • Desenvolvedor
  • Ilustrador
  • Modelador 3D
  • Designer Gráfico
  • Designer de Níveis
  • Designer de Som
  • Roteirista
  • Testador de Jogos
  • Supervisor de Produtos
  • Desenvolvedor Web
  • Desenvolvedor Mobile
  • Instrutor de Games

Se quiser saber mais sobre cada área leio o nosso artigo sobre como começar no mercado de desenvolvimento de jogos.

Mercado independente

O programa Greenlight do Steam é um excelente exemplo de como o mercado de jogos independentes é hoje bastante viável, e não apenas uma área para uma ínfima parcela de escolhidos. Produtores independentes podem publicar os seus projetos por lá, e desde que haja uma boa aceitação do público, a Steam poderá publicar seus jogos em sua plataforma de vendas, que hoje possui alguns milhões de usuários.

Outra área que não possui grandes entraves para o desenvolvedor de jogos independente é o mercado de jogos para celular, pois não é tão complicado, após ter o game pronto, publicá-lo em lojas como a Google Play e a Apple App Store.

Mercado de desenvolvimento de jogos está em alta no mundo todo e trabalhar fora pode ser uma realidade

Já dissemos que o mercado de jogos está em alta no Brasil, mas é importante também notar, que ele é um mercado em alta também ao redor do mundo, e com uma briga de gigantes pela primeira posição aquecendo ainda mais esse mercado mundial. Isso porque, depois de um bom tempo, os Estados Unidos perderam a primeira posição no ranking para a China, que hoje é, portanto, o maior mercado mundial de games, em volume de vendas em dólares.

Mas no que isso afeta o brasileiro interessado nesse mercado? Apesar de no Brasil já existirem muitas posições de trabalho para esse mercado de games, as maiores empresas produtoras de jogos, e os maiores salários dessa indústria ainda estão no exterior. E é sempre uma boa pensar que além do mercado nacional ainda existe essa possibilidade de trabalhar no exterior ou para uma empresa estrangeira, tanto no que se refere aos bons salários quanto para a participação em projetos que, atualmente, ainda não são realizados no mercado nacional, como a produção de grandes jogos AAA.

Área de Games para Profissionais criativos

No mercado de games leva-se muito em conta a criatividade, coisa que em certas áreas profissionais pode não ser desejável. O designer de games muitas vezes deve usar dessa liberdade de criação para ir além das características técnicas de um projeto, para que ele seja único e atrativo.

O criativo e o técnico porém se complementam, já que para realizar a visão de um profissional criativo, na maioria das vezes é necessário um profissional técnico que possa implementá-la.

Áre de Games para Profissionais técnicos

Os profissionais criativos são muito valorizados no mercado de games, mas se você gosta de técnica, lógica e números, esse mercado é para você também. Por trás dos jogos mais simples, ainda que não se perceba, existem códigos de programação bastante complicados, em alguns casos. As características técnicas de um jogo podem ser a diferença entre seu sucesso e seu fracasso.

E agora? Convencido a investir na sua carreira de Game Design?

Trabalar com Games pode ser uma realidade para você. Ainda não está convencido? Deixe nos comentários suas dúvidas e medos. O que falta para você legar os seus Games mais a sério?

Faça uma aula gratuita do curso de Game Design

Compartilhe:
//]]>